segunda-feira, 26 de abril de 2010

Espaço Outro e o Público

A tentativa neste projeto é de, através da infiltração no espaço público, estabelecer um discurso no qual a exibição artística se mescle à vivência cotidiana permitindo um contato mais íntimo do artista com os cidadãos.Sua estrutura permite o alcance quantitativo de público, pois este é tanto os que se encontram na caixa, quanto os que estão em todo o quarteirão. Além deste fator, sua linguagem contemporânea importa-se em ser atraente à apreciação da platéia, seja ela qual for.A rua como espaço artístico, por si só, já é democrática, mas no caso deste projeto, esta característica é ainda mais forte. “Espaço Outro” leva ao espaço público um trabalho de linguagem contemporânea, com uma composição constituída por diferentes camadas as quais cada espectador, de acordo com suas referências de vida e a arte, pode aproveitar a sua maneira. As histórias, a instalação da caixa, as intervenções na rua, as estéticas de cada uma das cinco partes, a brincadeira de onisciência, permitem às pessoas se interessem por diferentes possibilidades de relação com esta obra.


As criadoras na pra Rui Barbosa. Da esquerda para a direita Emanuelle Sotoski, Ana Ferreira e Rubia Romani.
Foto: Cleydson Nascimento.

Botões