quarta-feira, 1 de julho de 2009

Propostas do espetáculo

  1. Criação de um espaço outro; um espaço que seja heterogêneo no sentido de que pertença a sociedade como um todo, mas que seja um lugar deslocado do espaço público por sua significação utópica e simbólica que encerra em si a representação da sociedade a qual pertence; que conte a história desta sociedade através da explicitação de seu espaço público e do que nele há de privado e íntimo; que este espaço heterogêneo seja um "lugar nenhum" dentro do espaço público, ou seja, de acessibilidade pública destinado ao isolamento.
  2. Que seja um espaço onde real e irreal se misturem a propósito de que este espaço outro formado contenha um sentimento de universalidade; fazer com que um pequeno espaço em um raio próximo se torne uma metáfora do universo.
  3. Por último, fazer deste espaço outro um sempre transitório, um lugar sem lugar, para que nenhuma verdade ou comportamento seja estabelecido. Que em cada porto que este lugar ancorar, dê características de irrealidade as realidade específicas do local, formando sempre um novo espaço outro. Que mesmo dentro de cada lugar que estiver, não estabeleça idéias fixadas sobre ele.

Botões