domingo, 23 de agosto de 2009

Dos Anseios

O que a ACRUEL aqui se propõe é estabelecer um jogo entre os estados reais, e participativos da vida cotidiana, e os utópicos, induzidos pela representação teatral, sendo estes estados definidos pelo espaço. Quer-se a criação de um ambiente heterogêneo, no sentido de que pertença a todos e tenha livre acesso, mas não público, uma vez que se demarca diferente deste, um outro que ali se encaixa com sentido metafórico. A proposta é ainda que este lugar seja um ponto de observação do espaço público e das histórias que ele conta, porém com caráter fictício, transformando também o significado do espaço real lá fora.
Para tanto, ainda se faz necessário pensar na estrutura dramatúrgica das narrativas. Inspirado na idéia dos jardins persa descritos por Foucault, que contêm a representação de tudo o que existe no universo, este projeto procura o que há de mais universal nas histórias humanas e a adaptação destas para a nossa sociedade e cultura. É inserida no contexto deste anseio que a ACRUEL vêm pesquisando os mitos ocidentais que influenciam diretamente em nossa formação social: religião, histórias e mitologia da antiguidade, contos de fada. Ultimamente a companhia vem focando neste último, que contém em si, de forma lúdica, toda a bagagem dos outros. A busca é identificar a relação tanto da sociedade quanto dos agentes criativos em particular com os contos de fadas e, depois, re-localizar na rua o material levantado, transformando o real em fantasia.

Botões