quinta-feira, 4 de fevereiro de 2010

Do segundo dia de criação dramatúrgica

Ontem, repetimos o processo do primeiro dia. Estamos nos focando no texto do roteiro vermelho, porque os próximos serão feitos em relação a ele.
Parece mágica, a criação está muito frutífera. Claro que, em seguida, vem a fase de por em teste, de ver segundas, e até sextas, opiniões e ainda de ver como tudo isso funciona na voz. Vai ser importante testá-lo com alguém que não conhece nada sobre a peça, porque precisamos saber até que ponto a subjetividade pode atrapalhar a compreensão objetiva do que se passa na rua.
Esta é a fase do frio na barriga, de pensar que você pode estar achando tudo ótimo por pura inocência, que logo você vai ouvir o quão frágil ou tosco está tudo isso. Na criação, é sempre este o risco que se corre.

Botões